O mau tempo que assolou a Madeira deixou marcas de destruição

12319_108777862471807_100000187817850_229140_1730346_n

em Santa Maria Maior, principalmente na zona baixa que foi invadida pela água das chuvas, por pedras e terras que deixaram ruas e praças atoladas na lama e inacessíveis. A actividade comercial (lojas, restaurantes, estabelecimentos de vários sectores económicos) foi bastante atingida e, no dizer dos mais antigos, “tragédia tão grande nunca vimos”.

O Mercado dos Lavradores sofreu danos tanto no espaço da praça do peixe como no primeiro piso. Parte alguma da baixa de Santa Maria Maior escapou ao violento mau tempo e o cenário não podia ser pior. Toda a freguesia foi atingida pela tempestade e, desde o primeiro momento, a Junta mobilizou os seus efectivos para darem o apoio possível a quem tivesse necessidade.

Os serviços da Junta de Freguesia estiveram a funcionar no sábado e no domingo (dias 20 e 21 de Fevereiro), num horário alargado e ininterrupto, e foram muitas as solicitações vindas de vários sítios da freguesia. Montou-se um “plano de emergência” pronto a actuar em eventuais situações graves. Houve capacidade de resposta, encaminhou-se para as diferentes entidades os casos mais específicos e estivemos, como sempre estamos, atentos ao que se estava a passar em todos os pontos da freguesia.

Para trás fica o que ficou, é passado, importa agora é reunir forças e acreditar que há um amanhã sempre melhor e que vale sempre a pena lutar por novas metas, novos desafios.